Loading...

MENSAGEM

terça-feira, 31 de março de 2009

A MÁSCARA.


“Vivi, estudei, amei, e até cri,

E hoje não há mendigo que eu não inveje só por não ser eu...

Fiz de mim o que não soube,

E o que podia fazer de mim não o fiz.

O dominó que vesti era errado.

Conheceram-me logo por quem não era e não desmenti, e perdi-me.

Quando quis tirar a máscara,

Estava pegada à cara.

Quando a tirei e me vi no espelho,

Já tinha envelhecido.



“FERNANDO PESSOA''

segunda-feira, 30 de março de 2009

O GAROTO QUE IA MUDAR O MUNDO.


Meu partido

É um coração partido

E as ilusões

Estão todas perdidas

Os meus sonhos
Foram todos vendidos

Tão barato

Que eu nem acredito

Ah! eu nem acredito...


Pois aquele garoto

Que ia mudar o mundo

Mudar o mundo

Agora assiste a tudo

Em cima do muro

Em cima do muro...



parte da letra da músisa ideologia de autoria de cazuza e Roberto Frejat.

sexta-feira, 27 de março de 2009

RIR É ARRISCAR-SE.


Rir é arriscar-se a parecer louco.

Chorar é arriscar-se a parecer sentimental.

Estender a mão é arriscar-se a se envolver.

Expor seus sentimentos é arriscar-se a expor o seu eu verdadeiro.

Expor suas idéias e sonhos em público é arriscar-se a perder.

Viver é arriscar-se a morrer.

Ter esperança é arriscar-se a sofrer decepção.

Tentar é arriscar-se a falhar.Masé preciso correr riscos.

Porque o maior azar da vida é não arriscar nada...Pessoas que não arriscam, que nada fazem, nada são.

Podem estar evitando o sofrimento e a tristeza.Mas assim não podem aprender, sentir, crescer, mudar, amar, viver...Acorrentadas às suas atitudes, são escravas, abrem mão da sua liberdade.Só a pessoa que arrisca é livre..."Arriscar-se é perder o pé por algum tempo.Não se arriscar é perder a vida..."


Sören Kierkegaard (1813-1855)Filósofo dinamarquês, foi um dos fundadores da filosofia existencialista.

quinta-feira, 26 de março de 2009

PARA NÃO VIVER EM VÃO.


Não pretendo terminar os dias desempenhando as funções sacerdotais como mero sacerdote que batiza, celebra ritos de passagem e enterra os mortos. Não almejo acomodar-me à função de xamã. Não tolero o papel de “baby-sitter” de crentes burgueses, sempre ávidos por bênçãos.


É possível encontrar muitos cristãos em movimentos populares que reivindicam reforma agrária. Porém os pastores, com certeza ocupados com a máquina religiosa, não dispõem de tempo para se aliarem aos oprimidos pela burocracia estatal, que perpetua a injustiça. Poucos se atrevem a sair do conforto das catedrais para defender o meio ambiente.


Como pastor pentecostal, inquieto-me com o massacre da teologia da prosperidade, que ocupa a maior parte do culto com promessas de bênção. Não gosto de ver a instrumentalização de quase todo esforço missionário para fazer proselitismo, em nome de uma evangelização.


Pastores semelhantes a mim vivem a responder a questiúnculas sobre doutrina, a legislar sobre moralismos e a apagar fogo de contendas entre os membros de suas comunidades. O discipulado desaparece na catequese que tenta adequar as pessoas às demandas religiosas. O resultado é trágico e o testemunho cristão, pífio.
ricardo gondim.

quarta-feira, 25 de março de 2009

EU TE AMO.


Eu te amo mais que a abelha ama a flor

Eu te amo e como é forte o meu amor!

Eu te amo mais que tudo, mais que a vida que há em mim

Eu te amo e nada vence este amor que não tem fim

Eu te amo pois trocastes o meu fardo pela cruz

E é assim que eu te amo JESUS.

Eu te amo mais que um preso anseia ver

Toda luz da liberdade e assim viver

Eu te amo mais que o nauta ama a pátria que deixou

Mais que um pobre exilado ama o chão que o desprezou

Eu te amo mais que um cego possa desejar a luz

E é assim que eu te amo: JESUS.



Ozéias de Paula.

domingo, 22 de março de 2009

SONHAR MAIS UM SONHO IMPOSSÍVEL.


Sonhar mais um sonho impossível

Lutar quando é fácil ceder

Vencer o inimigo invencível

Negar quando a regra é vender

Sofrer a tortura implacável

Romper a incabível prisão

Voar num limite provável

Tocar o inacessível chão

É minha lei, é minha questão

Virar este mundo, cravar este chão

Não me importa saber

Se é terrível demais

Quantas guerras terei que vencer

Por um pouco de paz

E amanhã este chão que eu deixei

Por meu leito e perdão

Por saber que valeu

Delirar e morrer de paixão

E assim, seja lá como forVai ter fim a infinita aflição

E o mundo vai ver uma flor Brotar do impossível chão.
MARIA BETÂNIA.

sexta-feira, 20 de março de 2009

UM CAMPEÃO SE MOSTRA NA DERROTA.


Todo caminho tem, tem ida e volta

E um coração, alguém que já amou


Um campeão se mostra na derrota, na força pra lutar quando já cansou

O quarto ainda é frio e a cama queima

Só de lembrar quem nela se deitou


Minha história é essa, esse é o problema

A ferro e a fogo o amor marca deixou

Toda saída tem a sua porta

O que se faz aqui se vê depois


A faca é cega, mas ainda corta

Quem disse o que já era ainda não foi

Estou morrendo aos poucos, esse é o preço

De amar quem nunca teve tal valor

Um dia ainda volto ao começo E apago então as marcas desse amor.



MÚSICA CANTADA POR FÁBIO JÚNIOR.

segunda-feira, 16 de março de 2009

O PERFUME DAS FLORES.


Todos querem o perfume das flores,

mas poucos sujam as suas mãos para cultivá-las.

Augusto Cury

segunda-feira, 9 de março de 2009

O SENHOR.


Senhor,Eu sei que tu me sondas
Sei que também me conheces
Se me assento ou me levanto
Conheces meus pensamentos
Quer deitado ou quer andando
Sabes todos os meus passos
E antes que haja em mim palavras
Sei que tudo me conheces

Senhor eu sei que tu me sondas

Deus, tu me cercastes em voltaTuas mãos em mim repousamTal ciência, é grandiosa
Não alcanço de tão alta
Se eu subo até o céu
Sei que ali também te encontro
Se no abismo está minh'alma
Sei que aí também me amas.


letra do pastor alisson ambrósio da igreja Betesda.

domingo, 8 de março de 2009

ESCUTATÓRIA.


Sempre vejo anunciados cursos de oratória. Nunca vi anunciado curso de escutatória. Todo mundo quer aprender a falar. Ninguém quer aprender a ouvir. Pensei em oferecer um curso de escutatória. Mas acho que ninguém vai se matricular.


''RUBEM ALVES''

sábado, 7 de março de 2009

EQUÍLIBRIO.


Para sentir-me preenchido tenho que ser estável.
Para ser estável é necessário equilíbrio.
O equilíbrio entre :

Ser alegre, e não inconveniente.
Ser sincero, e não machucar.
Ser firme nas idéias, e não arrogante.
Ser humilde, e não submisso.
Ser rápido, e não impreciso.
Ser contente, e não complacente
Ser despreocupado, e não descuidado.
Ser amoroso, e não apegado


Ser pacífico, e não passivo
Ser disciplinado, e não rígido.
Ser flexível, e não frouxo.
Ser comunicativo, e não exagerado.
Ser obediente e não cego.
Ser doce, e não melado.
Ser moldável, e não tolo.
Ser introspectivo, e não enclausurado.
Ser determinado, e não teimoso.
Ser corajoso , e não agressivo.

RESOLVÍ.


Resolvi transformar as energias da minha tristeza numa bela obstinação; não vou desperdiçar o que me foi dado pela Graça.


Resolvi parar de escrever para religiosos que discutem as vírgulas da lei; quero ser bem quisto entre pecadores.


Resolvi aproximar mais meu coração da poesia; serei cuidadoso com quem trata a vida com doçura.


Resolvi encarar a ameaça anônima como um aviso; que Deus me ajude a nunca tratar meu Próximo com desdém.


Resolvi transformar meu pranto em dança; vou manter-me leve, mesmo que tropece em meus cadarços.


Resolvi procurar Deus entre os presos, os esfarrapados, os excluídos e os nus; abandonarei a busca de Sua presença nos catecismos e doutrinas sistemáticas.


Resolvi caminhar sem grandes pretensões; optarei pela estrada menos trilhada.Resolvi acolher o momento fugaz com zelo dobrado; viverei meus últimos anos com uma nova intensidade - "A vida é rara, tão rara!".



TEXTO DE RICARDO GONDIM,PASTOR DA IGREJA BETESDA EM SÃO PAULO.

quinta-feira, 5 de março de 2009

SOBRE DEUS.


SOBRE DEUS

ricardo gondim.



Não sei explicar as razões da minha fé. Não sei dizer os porquês da minha devoção. Sinto-me inadequado em convencer os indiferentes a desejaram a pitada do sal que tempera o meu viver. Tudo o que sei sobre o divino é provisório. Minha convicções vacilam. Todas as certezas são, decididamente, vagas.


Sei tão somente que Ele se tornou a minha meta, o meu norte, a minha nostalgia, o meu horizonte, o meu atracadouro. Apostei o futuro em seguir os seus passos invisíveis. No dia em que o chamei de Senhor, a extensão do meu meridiano se alongou, os retalhos do meu mapa se encaixaram, caíram os tapumes da minha avenida e o ponteiro da minha bússola se imantou.


Sei tão somente que Ele se fez residente no campus dos meus pensamentos. Presente nos vôos da minha imaginação, virou um doce ponto de interrogação. Causa de toda inquietação, tornou-se a fonte de minha clarividência.


Sei tão somente que Ele se desfraldou como bandeira sobre os meus ombros. E o cilício, as purgações, os sacrifícios, tudo foi substituído por desassombro. No porão da tortura, nos suplícios achei um ambulatório. Os livros contábeis, onde se registravam meus erros, foram rasgados. As punições, suspensas. Já não fujo dele como de um Átila. Eu agora o chamo de Clemente.


Sei tão somente que Ele ardeu o delicado filamento que acende a luz dos meus olhos. Ele foi o mourão que marcou o outeiro de minha alma como um jardim. Ele é o badalo que dobra o sino do meu coração; o alforje onde guardo as memórias.


Sei tão somente que Ele me fascina quando refrata a sua luz. O encarnado dele injeta o rubor do sol em mim. Seu amarelo traz o açafrão do mundo do mistério. O roxo, a púrpura da realeza. O branco, o pratear da lua. O preto, o nanquim celestial. O azul, a safira do mistério oceânico.


O que posso dizer de Deus? Nada! Espero, tão somente, que o meu espanto expresse reverência.