Loading...

MENSAGEM

quinta-feira, 5 de julho de 2012

Como eu te amo...

 Como eu te amo,
Eu te amo até a profundidade, altura e largura que minha alma pode alcançar
Eu te amo ao nível da necessidade mais silenciosa de cada dia, ao sol e a luz da vela
Eu te amo livremente como os homens lutam pelo direito
Eu te amo puramente como eles se afastam do elogio
Eu te amo como a paixão existente em minhas velhas magoas e a fé da minha infância
Eu te amo com um amor que parecia ter perdido com meus entes perdidos
Eu te amo com a respiração sorriso lágrimas de toda a minha vida e se deus quiser eu te amarei melhor após a morte.

SNOOPY

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Triste de quem vive em casa,
Contente com o seu lar,
Sem que um sonho, no erguer de asa,
Faça até mais rubra a brasa
Da lareira a abandonar!
 
Triste de quem é feliz!
Vive porque a vida dura.
Nada na alma lhe diz
Mais que a lição da raiz-
Ter por vida a sepultura.
 
Eras sobre eras se somem
No tempo que em eras vem.
Ser descontente é ser homem.
Que as forças cegas se domem
Pela visão que a alma tem!
 
E assim, passados os quatro
Tempos do ser que sonhou,
A terra será theatro
Do dia claro, que no atro
Da erma noite começou.
 
Grecia, Roma, Cristandade,
Europa- os quatro se vão
Para onde vae toda edade.
Quem vem viver a verdade
Que morreu Dom Sebastião?
 

terça-feira, 24 de abril de 2012

"Eu gosto de quem facilita as coisas. De quem aponta caminhos ao invés de propor emboscadas. Eu sou feliz ao lado de pessoas que vivem sem
códigos, que estão disponíveis sem exigir que você decifre nada. O que
me faz feliz é leve e, mesmo que o tempo leve, continua dentro de mim.
Eu quero andar de mãos dadas com quem sabe que entrelaçar os dedos é mais do que um simples ato que mantém mãos unidas. É uma forma de trocar energia, de dizer: você não se enganou, eu estou aqui. Porque por mais que os obstáculos nos desafiem o que realmente permanece, costuma vir de quem não tem medo de ficar."

sábado, 3 de março de 2012

Dá um abraço


De repente , deu vontade de um abraço...
Uma vontade de entrelaço, de proximidade ... de amizade, sei lá !
Talvez um aconchego amigo e meigo, que enfatize a vida e amenize as dores ... que fale sobre os amores, seja afetuoso e ao mesmo tempo forte ...
Deu vontade , de poder ter saudade de um abraço.
Um abraço que eternize o tempo e preencha todo o espaço.

Mas que faça lembrar do carinho, que surge devagarinho, na magia da união dos corpos, das auras, sei lá!
Lembrar do calor das mãos, acariciando as costas, a dizerem : - Estou aqui !
Lembrar do enlaçar dos braços, envolventes e seguros, afirmando : - Estou com você !
Lembrar da transfusão de força, ou até da suavidade do momento, sei lá.
Então, pensei em como chamar esse abraço: abraço poesia, abraço força, abraço união, abraço suavidade, abraço consolo e compreensão, abraço segurança e justiça, abraço verdade, abraço cumplicidade ?

Mas o que importa é a magia desse abraço, a fusão de energias que harmoniza, integra o todo e se traduz no cosmos, no tempo e no espaço...
Só sei que agora , deu vontade desse abraço :
Um abraço que desate os nós, transformando-os em envolventes laços ...
Que sirva de "colo", afastando toda e qualquer angústia...
Que desperte a lágrima de alegria e acalme o coração...
Um abraço que traduza a amizade, o amor e a emoção.
E para um abraço assim, só consegui pensar em você .
Nessa sua energia, nessa sua sensibilidade, que sabe entender o porque dessa minha vontade.



(Autor desconhecido)

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Uma parte de mim



Uma parte de mim
é todo mundo:
outra parte é ninguém:
fundo sem fundo.

Uma parte de mim
é multidão:
outra parte estranheza
e solidão.

Uma parte de mim
pesa, pondera:
outra parte
delira.

Uma parte de mim
almoça e janta:
outra parte
se espanta.

Uma parte de mim
é permanente:
outra parte
se sabe de repente.

Uma parte de mim
é só vertigem:
outra parte,
linguagem.

Traduzir-se uma parte
na outra parte
- que é uma questão
de vida ou morte -
será arte?

Fagner

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Mais uma Canção


Nada vai mudar entre nós
Como eu sei?
Eu só sei

Tudo vai permanecer igual

Afinal
Não há nada a fazer

Eu não nego

Eu me entrego
Você é meu grande amor
E hoje eu vou te dizer "eu te amo”

Eu imploro

Eu te adoro
Você tem meu coração
A bater pra você mais uma canção

Como pode alguém perder você

Como eu fiz?
Como eu quis não te ter?

Vivo iludido

A acreditar que o amor
Não se pôs em você

Eu me entrego

Eu não nego
Eu errei, mas sou capaz
de fazer sua vida melhor

Tô voltando

Não sei quando
Pra roubar teu coração
Vou chegar no final de mais uma canção

LOS HERMANOS

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Amor é Ciúme


Amor é o pássaro que não vive em gaiolas.

Basta engaiolá-lo para que ele morra.

Ter ciúme é reconhecer a liberdade do amor


RUBEM ALVES

Amor e Liberdade


Mais fundamental que o amor

é a liberdade.

A liberdade é o alimento do amor


RUBEM ALVES

A saudade


A saudade é um buraco na alma que se abriu quando um pedaço nos foi arrancado.No buraco da saudade mora a memória daquilo que amamos, tivemos e perdemos. A saudade é a presença de uma ausência.

Rubem Alves

corpo e palavras


Antes de ser feito com o corpo,
o amor é feito com as palavras.


EXTRAÍDO DO LIVRETO ''AMOR'' DE RUBEM ALVES.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Amor é fogo que arde sem se ver.


Amor é fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer;

É um não querer mais que bem querer;
É solitário andar por entre a gente;
É nunca contentar-se de contente;
É cuidar que se ganha em se perder;

É querer estar preso por vontade;
É servir a quem vence, o vencedor;
É ter com quem nos mata lealdade.

Mas como causar pode seu favor
Nos corações humanos amizade,
se tão contrário a si é o mesmo Amor?


Luiz Vaz de Camões

Pede o Desejo, Dama, que Vos Veja


Pede o desejo, Dama, que vos veja:
Não entende o que pede; está enganado.
É este amor tão fino e tão delgado,
Que quem o tem não sabe o que deseja.

camões

Aquela triste e leda madrugada


Aquela triste e leda madrugada,
cheia toda de mágoa e de piedade,
enquanto houver no mundo saudade
quero que seja sempre celebrada.

Ela só, quando amena e marchetada
saía, dando ao mundo claridade,
viu apartar-se de üa outra vontade,
que nunca poderá ver-se apartada.

Ela só viu as lágrimas em fio,
de que uns e outros olhos derivadas
se acrescentaram em grande e largo rio.

Ela viu as palavras magoadas
que puderam tornar o fogo frio,
e dar descanso às almas condenadas


Luís Vaz de Camões

Mudam-se os Tempos, Mudam-se as Vontades


Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,
Muda-se o ser, muda-se a confiança:
Todo o mundo é composto de mudança,
Tomando sempre novas qualidades.


Continuamente vemos novidades,
Diferentes em tudo da esperança:
Do mal ficam as mágoas na lembrança,
E do bem (se algum houve) as saudades.

O tempo cobre o chão de verde manto,
Que já coberto foi de neve fria,
E em mim converte em choro o doce canto.

E afora este mudar-se cada dia,
Outra mudança faz de mor espanto,
Que não se muda já como soía.

Luís Vaz de Camões, in "Sonetos"

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

filhote de furacão


“– Mamãe, vi um filhote de furacão, mas tão filhotinho ainda, tão pequeno ainda, que só fazia era rodar bem de leve umas três folhinhas na esquina...”

CLARICE LISPECTOR

sábado, 17 de setembro de 2011

Imaginando o que eu tenho que fazer


Eu não quero ser
Nada além do que estou tentando ser ultimamente
Tudo o que eu tenho que fazer
É pensar em mim, e eu terei paz de espírito
Estou cansado de olhar nos quartos em volta
Imaginando o que eu tenho que fazer
Ou quem eu devo ser
Eu não quero ser nada além de mim

Estou cercado por mentirosos por todos os lados onde me viro
Estou cercado por impostores por todos os lados onde me viro
Estou cercado por uma crise de identidade por todos os lados onde me viro
Eu sou o único que percebeu?
Não posso ser o único que aprendeu


aos vinte e nove,Decidi começar a viver.


Vinte E Nove

Legião Urbana

Perdi vinte em vinte e nove amizades
Por conta de uma pedra em minhas mãos
Me embriaguei morrendo vinte e nove vezes
Estou aprendendo a viver sem você
(Já que você não me quer mais)

Passei vinte e nove meses num navio
E vinte e nove dias na prisão
E aos vinte e nove, com o retorno de Saturno
Decidi começar a viver.

Quando você deixou de me amar
Aprendi a perdoar
E a pedir perdão.
(E vinte e nove anjos me saudaram
E tive vinte e nove amigos outra vez)

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

O Meu Amor.


O meu amor tem um jeito manso que é só seu
E que me deixa louca quando me beija a boca
A minha pele toda fica arrepiada
E me beija com calma e fundo
Até minh'alma se sentir beijada

O meu amor tem um jeito manso que é só seu
Que rouba os meus sentidos, viola os meus ouvidos
Com tantos segredos lindos e indecentes
Depois brinca comigo, ri do meu umbigo
E me crava os dentes

Eu sou sua menina, viu? E ele é o meu rapaz
Meu corpo é testemunha do bem que ele me faz

O meu amor tem um jeito manso que é só seu
Que me deixa maluca, quando me roça a nuca
E quase me machuca com a barba mal feita
E de pousar as coxas entre as minhas coxas
Quando ele se deita

O meu amor tem um jeito manso que é só seu
De me fazer rodeios, de me beijar os seios
Me beijar o ventre e me deixar em brasa
Desfruta do meu corpo como se o meu corpo
Fosse a sua casa

Eu sou sua menina, viu? E ele é o meu rapaz
Meu corpo é testemunha do bem que ele me faz

Chico Buarque

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

o nosso Deus é o mesmo Deus.



De uma coisa sabemos que o homem branco talvez venha um dia a descobrir: o nosso Deus é o mesmo Deus. Julgas, talvez, que O podes possuir da mesma maneira como desejas possuir a nossa terra. Mas não podes. Ele é Deus da humanidade inteira. E quer o bem igualmente ao homem vermelho como ao branco. A terra é amada por Ele. E causar dano à terra é demonstrar desprezo pelo seu Criador. O homem branco também vai desaparecer, talvez mais depressa do que as outras raças.



Parte Da Carta que o cacique índio Seattle, da tribo Duwamish, do Estado de Washington, escreveu ao presidente Franklin Pierce, dos Estados Unidos, em 1855.

domingo, 28 de agosto de 2011

Sou companhia, mas posso ser solidão

Sou companhia, mas posso ser solidão... Tranquilidade e inconstância, pedra e coração. Sou abraços, sorrisos, ânimo, bom humor, sarcasmo, preguiça e sono. Música alta e silêncio. Serei o que você quiser, mas só quando eu quiser.
Clarice Lispector

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Hoje sinto falta de uma mulher


Hoje sinto falta de uma mulher que espere a minha presença com ansiedade.

Hoje sinto falta de uma mulher que me escreva poemas de amor.

Hoje sinto falta de uma mulher acariciando os meus cabelos.

Hoje sinto falta de uma mulher me abraçando como se o mundo fosse acabar.

Hoje sinto falta de uma mulher que se perfume só pra mim.

Hoje sinto falta de uma mulher que escreva o meu nome na areia.

Hoje sinto falta de uma mulher que me registre em seu diário.

Hoje sinto falta de uma mulher que me diga que perdeu o sono pensando em mim

Hoje sinto falta de uma mulher...


M.M.S

terça-feira, 26 de julho de 2011

remorso


Às vezes uma dor me desespera...
Nestas ânsias e dúvidas em que ando,
Cismo e padeço, neste outono, quando
Calculo o que perdi na primavera.

Versos e amores sufoquei calando,
Sem os gozar numa explosão sincera...
Ah! Mais cem vidas! com que ardor quisera
Mais viver, mais penar e amar cantando!

Sinto o que esperdicei na juventude;
Choro neste começo de velhice,
Mártir da hipocrisia ou da virtude.

Os beijos que não tive por tolice,
Por timidez o que sofrer não pude,
E por pudor os versos que não disse!


Autor: (
Olavo Bilac)

quinta-feira, 14 de julho de 2011

ser poeta.



Ser poeta é ser mais alto, é ser maior Do que os homens! Morder como quem beija! É ser mendigo e dar como quem seja Rei do Reino de Aquém e de Além Dor!






É ter de mil desejos o esplendor E não saber sequer que se deseja! É ter cá dentro um astro que flameja, É ter garras e asas de condor!






É ter fome, é ter sede de Infinito! Por elmo, as manhãs de oiro e de cetim... É condensar o mundo num só grito!






E é amar-te, assim, perdidamente... É seres alma, e sangue, e vida em mim E dizê-lo cantando a toda a gente!






sábado, 9 de julho de 2011

dignidade e responsabilidade.


“O conceito de um vínculo pactual entre Deus e o homem é revolucionário e não tem paralelo em nenhum outro sistema de pensamento. Para os antigos, o homem estava à mercê de forças impessoais que tinham que ser aplacadas... no humanismo secular, o homem está sozinho num universo cego às suas esperanças e surdo às suas preces. Todas estas visões são coerentes, e cada uma tem seus adeptos. 

Mas somente no judaísmo encontramos a asserção de que, apesar da sua completa disparidade, Deus e o homem se encontram como “parceiros no trabalho da Criação”. Não conheço nenhuma outra visão que confira ao ser humano tamanha dignidade e responsabilidade''

Jonathan Sacks