Loading...

MENSAGEM

terça-feira, 13 de abril de 2010

Soneto de fidelidade


De tudo ao meu amor serei atento

Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto

Que mesmo em face do maior encanto

Dele se encante mais meu pensamento.


Quero vivê-lo em cada vão momento

E em seu louvor hei de espalhar meu canto

E rir meu riso e derramar meu pranto

Ao seu pesar ou seu contentamento.


E assim, quando mais tarde me procure

Quem sabe a morte, angústia de quem vive

Quem sabe a solidão, fim de quem ama


Eu possa me dizer do amor (que tive):

Que não seja imortal, posto que é chama

Mas que seja infinito enquanto dure.



Vinícius de Moraes

É de coração


Como descrever, como expressar Um amor que vai de Leste a Oeste E nunca mais vai terminar.

Tu me conheces bem, sabes quem eu sou. Não há como me esconder de Ti Sempre sabes onde estou.


É de coração tudo o que eu disser Num hino de louvor a Jesus de Nazaré Se as palavras não mostrarem Como é grande a minha gratidão Mesmo assim, Senhor, recebe o meu louvor É de coração.


Não vou esquecer, não vou desprezar O amor que Tu me revelaste ali pra me resgatar Tu me conheces bem, sabes quem eu sou Não há como me esconder de Ti Sempre sabes onde estou.



É de coração (versão: Gerson Borges)(Listen to our heart – Steven Curtis Chapman/Geoff Moore)