Loading...

MENSAGEM

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

filhos de ninguém.


São tão frágeis nas esquinas
Prostituas tão meninas com histórias pra contar e entristecer
Rapazotes tão franzinos, das famílias são arrimos
Com chacinas frias sob o anoitecer

Esta tudo tão trocado
O errado certo e o certo errado, que de natural até deixa de ser
E é jogado, feito um bicho, um bebê dentro do lixo
Porque alguém não assumiu o seu dever

Quem se importa com isso?

São pequenos traficantes, trombadinhas, assaltantes
Que não tem nem mesmo chão para morrer
Fazem parte do sistema, obedecem ao esquema
De roubar de quem tem pra quem não tem ter

Quando são então achados, agredidos, esfolados
Pela mesma sociedade que os criou
São nas valas encontrados sujos e assassinados
Sem sequer ter visto a arma que os matou

Quem se importa com isso?

Alisson Silva